top of page

AS RUGAS DO ROSTO E AS RUGAS DA ALMA

Não nos preocupemos com as rugas que se vão instalando, sem cerimónia, nos nossos rostos.


Envelhecer não é um problema.


É uma fase natural do ciclo da vida, é um processo de amadurecimento que se reflete em alterações progressivas ao nível biológico e muitas vezes também ao nível psíquico, emocional, social.


Saber gerir essas alterações progressivas que, necessariamente, todos vamos sentindo é a chave para que envelhecimento e qualidade de vida andem de mãos dadas.


Segundo o Censos de 2021, por cada 100 jovens existem, em Portugal, 182 pessoas com idade igual ou superior a 65 anos.


Temos, pois, uma população predominantemente envelhecida.


Preservar a qualidade de vida nesta população é, a todos os níveis, um fator de importância extrema.


A Organização Mundial de Saúde, define qualidade de vida como “a percepção que um indivíduo tem sobre a sua posição na vida, dentro do contexto dos sistemas de cultura e valores nos quais está inserido e em relação aos seus objectivos, expectativas, padrões e preocupações”.


É evidente que a percepão que cada um tem sobre si próprio ou sobre a sua posição na vida não é a mesma aos 18 ou aos 65 anos.


Essa percepção vai-se alterando, necessariamente.


Importante é que, apesar das alterações que se vão sentindo, se mantenha o interesse pela vida, a noção de pertença, de utilidade, de parte integrante do todo.


Importante é que, cada um, fomente e invista no seu próprio envelhecimento ativo.


Sem achar que são os outros, que é a sociedade, que é o estado, que é a família quem tem esse dever.


Não são os outros que têm esse dever.


É um dever de cada um tem, por respeito a si próprio e por respeito à sociedade em que está inserido.


Manter-se curioso, ativo, integrado na sociedade civil e empresarial, desenvolver programas de mentoria junto dos mais novos, exercitar-se, saber comer, integrar-se em movimentos adequados aos interesses próprios são tudo coisas que devem partir de cada um, caso se deseje alimentar o entusiasmo, a autonomia, a independência.


Para que se não deixe enrugar a alma.


Para que se viva enquanto houver vida.


16 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentarios


bottom of page